Leonardo Ramos

No mês de Julho, a Caixa Econômica Federal anunciou a redução dos juros do financiamento imobiliário e a flexibilização das condições para concessão de crédito imobiliário nas linhas Pró-Cotista e do Programa de Habitação Popular com Recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Medidas

Dessa forma, entre as iniciativas divulgadas pela estatal está o aumento das faixas de renda familiar elegíveis para terem acesso aos financiamentos com taxas subsidiadas, com o teto passando de R$ 7 mil para R$ 8 mil mensais.

A instituição também diminuiu as taxas de juros da linha Pró-Cotista, contanto que sejam contratadas até o final deste ano, conforme o que foi aprovado pelo Conselho Curador do FGTS no início de julho.

Taxas

Assim, os juros foram reduzidos em 1 ponto percentual para os imóveis de até R$ 350 mil. Já as taxas mínimas passaram de Taxa Referencial (TR) mais 8,66% ao ano para TR mais 7,66% ao ano.

Para imóveis entre R$ 350 mil e R$ 1,5 milhão – teto do Sistema Financeiro Habitacional – a taxa passou de TR mais 8,66% ao ano para TR mais 8,16% ao ano.

Ademais, além da redução das taxas, a porcentagem de financiamento na linha pró-cotista aumentou de 50% até 80% do valor de avaliação do imóvel, no sistema de amortização constante (SAC) e de 50% para 70% na amortização pela tabela Price.

Alterações nas faixas de renda

Por fim, a Caixa informou por meio de nota que a ampliação das faixas de renda possibilitará que mais pessoas tenham acesso aos juros menores dos financiamentos com recursos do FGTS.

 

Leonardo Ramos

é corretor de imóveis e especialista em marketing digital. Atua como Head de Marketing & Customer Success na Imobiliária Biguaçu